Pesquisar Neste Blog

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

IV Semcogeo - ESURP - Comunicação - Secretariado / Relações Públicas (por Márisson Fraga)


Neste vídeo, Márisson Fraga fala sobre a importância da uma comunicação clara, direta e objetiva dentro das organizações, principalmente por parte do(a) Secretário(a) Executivo(a). Falhas nas mensagens transmitidas por colaboradores ocasionam problemas corporativos clássicos.




FOTOS DO EVENTO (17/11/11):








sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Ambev - Análise dos Resultados do 2º Trimestre/2011 (por Márisson Fraga)


Análise resumida dos resultados do 2º trimestre de 2011 da Ambev. Neste vídeo, Márisson Fraga comenta o nível de aceitação do mercado em relação aos produtos comercializado pela Ambev e sugere compra deste ativo caso haja novo pânico no mercado.

Atenciosamente,

Márisson Fraga

domingo, 7 de agosto de 2011

Usiminas - Análise dos Resultados do 2º Trimestre/2011 (por Márisson Fraga)


Análise resumida dos resultados do 2º Trimestre de 2011 da Usiminas. Márisson Fraga concentra seus comentários na baixa margem bruta apresentada na DRE (Demonstração de Resultado do Exercício) da organização e aborda as mutações que estão ocorrendo nos custo fixos e variáveis do setor de siderurgia.

Atenciosamente,
Márisson Fraga

domingo, 31 de julho de 2011

Natura Cosméticos - Análise dos Resultados do 2º Trimestre/2011 (por Márisson Fraga)


Análise resumida dos Resultados do 2º Trimestre de 2011 da Natura Cosméticos com os comentários de Márisson Fraga. Ótima opção para quem investe em bolsa de valores.

Atenciosamente,

Márisson Fraga

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Banco Santander - Análise dos Resultados do 2º Trimestre/2011 (por Márisson Fraga)


Análise resumida da Demonstração do Resultado do Exercício do Banco Santander (Brasil) por Márisson Fraga. Recomendado para quem investe em ações e possui estratégias a longo prazo.

Atenciosamente,

Márisson Fraga

sexta-feira, 17 de junho de 2011

O Crash da Bolsa, 1929 - O Pior Dia da América (por Márisson Fraga)


Ótimo curta metragem em forma de documentário idealizado, gravado e editado por Márisson Fraga. O vídeo fala sobre o pior dia da América, o dia da quebra da Bolsa de Valores de Nova Iorque. Márisson Fraga ainda deixa um alerta no final do vídeo sobre uma possível crise no Brasil.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Buffettologia

Warren Buffett é um dos homens mais ricos do mundo - Ficou em 3º lugar em 2011, segundo a revista Forbes, com um patrimônio de aproximadamente US$ 50 Bilhões - e um dos maiores investidores de todos os tempos em ações. Com um estilo diferenciado enquanto CEO e acionista de algumas poucas instituições, Warren Buffett possui pensamentos originais que os transformaram em um gênio das finanças.
Logo, "Buffettologista" é um neologismo que refere-se àquele que estuda e pesquisa a vida e a mente de Warren Buffett.

Pretendo diferenciar minhas estratégias de investimentos e estou lendo bastante sobre este CEO.

Um Tao - ler O TAO DE WARREN BUFFETT, de Mary Buffett e David Clark - que ficou muito sólido em minha mente foi:

* Sempre que eu achar que vale a pena comprar um ativo na bolsa de valores para fazer buy-and-hold, vou escrever os motivos que me levaram a comprar aquela ação. Segundo ele, se você não consegue escrever sobre algo é porque você não pensou o bastante sobre isso. Mister Buffett faz isso e tem dado certo.

Outro livro que está me auxiliando muito a escolher empresas sólida e com bons fundamentos econômicos de longo prazo é Warren Buffett e a Análise de Balanços, também de Mary Buffett e David Clark - conclui-se que ambos os escritores são, definitivamente, "Buffettologistas".

Portanto, pretendo redigir os motivos pelos quais eu vou comprar ações de algumas empresas e apresentar tópicos que fundamentem minha linha de raciocínio, alinhando ao máximo com a maneira de investir de Warren Buffett, uma vez que seu estilo faz todo sentido para mim e se assemelha ao meu estilo.

Comunidade no Orkut:
SOU BUFFETTOLOGISTA

Atenciosamente,
Márisson Fraga

domingo, 12 de junho de 2011

Resenha sobre o Ambiente Corporativo

Este texto foi inspirado no artigo escrito por José Roberto Heloani e Cláudio Garcia Capitão sobre Saúde Mental e Psicologia do Trabalho.


Implicitamente, existe um novo deus no mundo: O Dinheiro! E esse deus traz consigo alguns valores que divergem dos já estabelecidos como modelo ideal. A busca pelo capital exacerbado gera ganância, egoísmo, falta de ética e inconseqüência. Aliás, neste último, está incluído a irresponsabilidade. Inconseqüência e irresponsabilidade andam de mãos dadas e acabam por arruinar não só a vida pessoal de empresários como, principalmente, de colaboradores.

O sistema capitalista traz vantagens e desvantagens, como tudo na vida. Vida que, por sua vez, é feita de escolhas. O empregador tem a escolha de, por exemplo, inflar um pouco mais a sua folha de pagamento, enxergar as dificuldades no ambiente de trabalho e saná-las, entre outras alternativas que iriam disponibilizar qualidade de vida para sua equipe. Ou, ele poderia decidir por enxugar o número de funcionários, cobrar a um só tarefas que deveriam ser executadas por dois, fingir que não vê as longas jornadas de trabalho diárias feitas pela sua equipe e etc. Uma vez que a primeira alternativa reduziria consideravelmente os lucros anuais, no mundo corporativo, a segunda opção sempre “é” a melhor!

As resultantes dessa inconseqüência são conseqüências definitivamente desastrosas e, em alguns casos, irreversíveis. Dias após dia, ano após ano, o número de pessoas com alto nível de stress, união matrimonial destruída, LER/DORT, Picos hipertensivos, entre outros transtornos causados pelo clima tenso do mundo dos negócios aumenta exponencialmente. A causa dessas decisões equivocadas de vários executivos é ignorada, pois provoca um efeito interessante para os mesmos. A alta rotatividade nos cargos operacionais anula ainda mais as tentativas de descentralização dos recursos dentro de um país. Ou seja, os pobres e ignorantes, que outrora foram chamados, respectivamente, pelo governo de “carentes” e “bonifrates” continuam pobres, ignorantes e sem poder de consumo por muito tempo. Ao passo que os ricos – ou, bem-aventurados, como queira chamar – ficam mais ricos. Cenário um tanto quanto maquiavélico. E, por falar em Maquiavel, segundo o mesmo, este ambiente também é importante para os líderes públicos. No livro O Príncipe, o escritor deixa claro que quando um “Rei” permite que parte da população seja pobre, o respeito, através do medo, aparece e causa tranqüilidade ao líder governamental. O ricos não ousarão desafiar o “Rei” como medo que, ao serem tiradas suas riquezas, tornem-se pobres como a outra parte da população. Os miseráveis, por sua vez, não possuirão apoio suficiente para derrubá-lo, pois não contarão com os ricos para impor suas vontades.

Karl Marx já deixou nas entrelinhas que um dos fatores que desenvolve a economia, de certa forma, é o interesse egoísta das pessoas. O interesse pessoal e, somente, o pessoal de cada um é o que faz com que a população desenvolva atividades remuneradas. Concluímos então que todos os valores são como ferramentas que podem ser usados de forma negativa e positiva. Como, por exemplo, a programação neuro-linguística que pode ser utilizada para influenciar negativamente ou positivamente um indivíduo. O acima citado egoísmo da população, quando desfrutado no nível correto, causa desenvolvimento. Assim como a inconseqüência e irresponsabilidade que foi usada na final da Copa do Mundo de 2010, pelo jogador francês Zinedine Zidane contra a Seleção Italiana, e abrilhantou ainda mais a disputa de pênaltis. Ou ainda a ganância sadia de um vendedor que quebra paradigmas e consegue efetuar vendas extraordinárias.

Usar as ferramentas na medida certa faz a diferença e causa bem estar em si e em outrem. Viver bem também é deixar que outras pessoas vivam. Pôr a cabeça no travesseiro à noite e ter a consciência tranqüila de que fez o melhor para seus pares não tem preço. Principalmente quando essa consciência tranqüila é enriquecida pela liberdade de não ser escravo do deus implícito, o dinheiro!

Atenciosamente,

Márisson Fraga

Contos Empresariais 7 - As Estratégias de Marketing da Harvard Business School (por Márisson Fraga)


Neste novo vídeo, Márisson Fraga aborda algumas estratégias de marketing diferenciadas utilizadas pela Harvard Business School para se consolidar como uma marca internacionalmente conhecida.

Contos Empresariais 6 - Alexander Graham Bell e o Telefone (por Márisson Fraga)



Neste ótimo vídeo, Márisson Fraga conta como Alexander Graham Bell conseguiu popularizar o uso do telefone nos Estados Unidos e qual foi seu argumento de vendas utilizado para conseguir êxito.
Related Posts with Thumbnails